paciente Jordenis Benicio de Sousa, de 63 anos, morreu após buscar ajuda na rede municipal de saúde do Rio de Janeiro para conseguir realizar um exame, que seria responsável por ter diagnosticado uma grave hemorragia. O idoso peregrinou por cinco dias na luta pelo exame. A polícia e o Conselho Regional de Medicina investigam o caso.

Imagem reprodução TV Globo
Imagem reprodução TV Globo

Para a irmã de Jordenis, ele morreu por uma negligência médica. “É muito triste você saber que nunca mais vou ver meu irmão. Minha família toda está sofrendo. Todos nós estamos sofrendo por causa desse caso de negligência medica. Lamentável”, diz irmã.

Jordenis percorreu cerca de 150 quilômetros em cinco dias e passou por diferentes postos de atendimento. O paciente passou pela UPA de Sepetiba, Hospital Pedro II, Hospital Albert Schweitzer e acabou morrendo no Hospital Salgado Filho. Para Marijane Vinicius, o exame poderia ter salvado a vida do irmão.

“Se eles tivessem tratado meu irmão adequadamente. Tivessem dado ouvido para a dor que ele estava sentindo no estômago, talvez pudessem ter salvo meu irmão. Eu sou uma brasileira que tenho vergonha de tudo o que está acontecendo aqui no Rio de Janeiro, com a falta de médico, falta de pagamento. É isso que aconteceu com meu irmão, muito triste. A gente quer justiça”, diz irmã.

Para o presidente do Cremerj, Nelson Nahon, a crise na saúde do Rio pode levar o morador a um risco de morte. “Vamos pesquisar todos os atendimentos que ele sofreu em todos hospitais, para ver se houve alguma falha no atendimento médico. A gente vive hoje uma crise que está levando a população do Rio de Janeiro a um risco de morte”, afirmou.

A Secretaria Municipal de Saúde alega que Jordenis recebeu os cuidados indicados para o quadro dele, e que a alta obedeceu à avaliação clínica. A Secretaria de Saúde disse ainda que aguarda o resultado do laudo do IML para que o caso seja analisado por uma comissão de óbito.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

*