Jovem da Vila Aliança dribla infância pobre e é contratado por time de futebol da Califórnia Esforço do jovem é recompensado e mostra que é possivel seguir em frente diante as dificuldades

0
7
Pedro Zuazo

Aos 19 anos, Douglas Lima dos Reis deu uma virada no jogo da vida. Nascido e criado na comunidade Vila Aliança, em Bangu, o rapaz encarou a dureza de uma infância pobre. Para ajudar a mãe, solteira e desempregada, a criar três filhos, fez bicos como pedreiro, empacotador, mecânico de bicicletas e até gandula. Largou a escola no 1º ano do ensino médio, teve contato com drogas e enfrentou a dor de perder a mãe, em 2012. Nada, no entanto, impediu que alcançasse seu objetivo.

O jovem driblou as dificuldades e, hoje, está de malas prontas para embarcar para a Califórnia, na semana que vem, onde vai atuar como lateral-esquerdo do time de futebol soçaite Ontario Fury.

“Não sei o que seria da minha vida sem o futebol”, diz o jovem
“Não sei o que seria da minha vida sem o futebol”, diz o jovem Foto: Fabio Guimaraes / Agência O Globo

— Eu consegui, cheguei lá — vibra Douglas, sem firulas: — Se não fosse o futebol, sinceramente não sei o que seria da minha vida.

A trajetória do jogador começou por acaso, há cinco anos. Enquanto esperava o horário marcado para fazer um serviço, o rapaz subiu numa laje para soltar pipa. Lá, encontrou homens que fumavam maconha e aceitou dar um trago no cigarro.

— Eu nunca tinha experimentado e, como estava sem comer, acabei passando mal. Senti minha veia batendo forte, não aguentava sustentar o corpo. Então, desci e pedi ajuda à primeira pessoa que encontrei — conta.

Conquistas do jovem
Conquistas do jovem Foto: Fabio Guimaraes / Agência O Globo

Era Franklin Ferreira, de 36 anos, criador do projeto Craques da Vida Vila Aliança, que oferece aulas de futebol para crianças da comunidade. Após ajudar Douglas, o professor de Educação Física enxergou a possibilidade de transformar a vida do rapaz através do esporte. Só não imaginava que Douglas chegaria tão longe.

No time da Vila Aliança por quatro anos, Douglas conquistou, entre outros títulos, o vice-campeonato da Copa das Favelas de 2015 e foi eleito o melhor lateral-esquerdo da disputa. O reconhecimento saltou à vista de olheiros.

O rapaz chegou a receber ofertas do Bangu Atlético Clube, mas o que mais lhe atraiu foi a proposta da ONG americana Golden State: uma experiência no futebol internacional.

— O lugar mais longe a que eu tinha ido era Xerém. Quando fiz a primeira parte da viagem de avião, de Rio a São Paulo, fiquei com dor de cabeça de tão nervoso — conta o rapaz.

Franklin Ferreira é criador do projeto
Franklin Ferreira é criador do projeto Foto: Fabio Guimaraes / Agência O Globo

Nos Estados Unidos, Douglas conquistou medalhas em cinco campeonatos, sendo o principal deles o Dallas Cup, mas não conseguiu renovar o visto de turista. Para não desperdiçar o talento, o time Ontario Fury o contratou, dando direito a um visto de trabalho por cinco anos.

O projeto Craques da Vida Vila Aliança oferece aulas gratuitas a 150 jovens, e é apoiado apenas por comerciantes da comunidade.

— O primeiro sonho de todo menino de comunidade é ganhar uma bola para jogar pelada com os amigos. Por isso, um projeto de futebol tem um impacto social grande. O esporte é a melhor ferramenta para que esses jovens tenham suas vidas transformadas e se afastem dos caminhos errados. Temos conseguido desenvolver o trabalho com ajuda de poucas pessoas, mas o desejo é que ele cresça cada vez mais. Quem sabe não recebemos uma visita de Luciano Huck! — conta Franklin Ferreira, criador do projeto Craques da Vida.

Matéria do Jornal Extra e O Globo | Fotos  Fabio Guimaraes / Agência O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here