Home / Destaque / Fogo consome Museu Nacional da Quinta da Boa Vista Prédio completou 200 anos em 2018

Fogo consome Museu Nacional da Quinta da Boa Vista Prédio completou 200 anos em 2018

Um incêndio atinge o Museu Nacional da Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, neste domingo. Segundo os primeiros relatos, o incêndio começou às 19h30. Equipes de quatro quartéis do Corpo de Bombeiros foram acionadas e atuam no combate às chamas. Nas redes sociais, muitas pessoas postam fotos e vídeos do incêndio, que pode ser visto de várias partes da cidade. Não há registros de feridos.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, noite e atividades ao ar livre

“O Museu Nacional é um dos símbolos da nossa cultura. Ele completou 200 anos em 2018, mas as coleções têm muito mais que isso. É uma tragédia lamentável”, disse à GloboNews Paulo Knauss de Mendonça, diretor do museu.

A imagem pode conter: noite, céu e atividades ao ar livre

“É uma tragédia imensurável. Acho que todos os brasileiros estão de luto”, afirmou o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, à GloboNews.

Sobre o Museu Nacional

Primeira instituição museológica e de pesquisa do Brasil, o Museu Nacional completou 200 anos no dia 6 de junho deste ano. Localizado no interior do parque da Quinta da Boa Vista, no bairro de São Cristóvão, o museu foi criado como Museu Real, em 1818, por D. João VI. É a instituição cientifica mais antiga do Brasil e uma das principais da América Latina.

O conjunto arquitetônico da Quinta da Boa Vista, o edifício do museu e a coleção Balbino de Freitas são tombados, desde 1938, como patrimônio cultural brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional (Iphan), entidade vinculada ao Ministério da Cultura.

Museu Nacional: um dos maiores espaços de história natural – Rafael Moura

A instituição conta com um acervo de mais de 20 milhões de itens, subdivididos em temas como antropologia, botânica, entomologia, geologia e paleontologia.

Além disso, possui uma das maiores bibliotecas especializadas em ciências naturais do Brasil. Incorporado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) desde 1946, oferece cursos de extensão, especialização e pós-graduação em diversas áreas do conhecimento.

Entre as preciosidades do museu estão 1560 peças raras, mais de 26 mil fósseis nas coleções paleontológicas, e o maior meteorito brasileiro, com 5,36 toneladas, o chamado Bendengó. O espaço abriga ainda os ossos e a reconstituição facial de Luzia, fóssil humano mais antigo do Brasil, com mais de 12 mil anos.

Veja Também

Vítima resgatada com vida dos escombros Foto: TV Globo / Reprodução

Sobe para 07 o número de mortos no desabamento em Niterói Duas pessoas morreram no deslizamento de morro

Acidente ocorreu no Morro da Boa Esperança, na Estrada Francisco da Cruz Nunes, em Piratininga. ...