Home / Destaque / Em primeiro encontro, Witzel e Crivella negociam devolução de hospitais para o estado Governador eleito e prefeito do Rio, entretanto, ainda não chegaram a acordo

Em primeiro encontro, Witzel e Crivella negociam devolução de hospitais para o estado Governador eleito e prefeito do Rio, entretanto, ainda não chegaram a acordo

O governador eleito do RJ, Wilson Witzel (PSC), se reuniu com o prefeito da capital, Marcelo Crivella (PRB), nesta terça-feira (6).

No almoço no Palácio da Cidade, em Botafogo, os dois debateram a devolução de hospitais do Estado assumidos pela Prefeitura na gestão Eduardo Paes – Albert Schweitzer e Rocha Faria – mas ainda não chegaram a um acordo.

Fontes da Prefeitura disseram ao RJ2 que esse era o acordo com Wilson Witzel no segundo turno para que ele recebesse apoio do prefeito na disputa ao governo do estado. Mas, após a eleição, não há qualquer garantia de que a promessa será cumprida por Witzel.

Depois de uma semana de troca de farpas entre Witzel e Crivella, o prefeito ameaçou entrar na Justiça para devolver os hospitais ao estado, alegando que o estado prometeu pagar contrapartidas ao município, mas o dinheiro nunca chegou.

Crivella argumenta que o estado vai arrecadar um bom dinheiro com os royalties do petróleo e poderia arcar com as despesas dos hospitais. Depois do almoço, nem o prefeito nem o governador eleito quiseram falar com a imprensa.

O governador eleitor também esteve no Tribunal Regional Federal da Segunda Região, no Centro do Rio, onde foi homenageado pelos serviços prestados quando era juiz.

Após a cerimônia, Witzel falou do encontro que teve com Crivella.

Os dois conversaram sobre uma solução para a questão dos hospitais, mas ela ainda não apareceu. O RJ2 apurou que Witzel quer rever as projeções de arrecadação de royalties antes de bater o martelo.

“Estamos conversando. Começamos a conversar hoje sobre essa questão e vamos encontrar uma solução, rápida, para o problema. Tá no caminho, tá no caminho. Não a solução ainda não foi encontrada. Mas estamos no caminho. Não falou nada de entrar na Justiça”, disse Witzel.

Albert Shweitzer faz uma média de 16 mil atendimentos por mês e Rocha Faria 15 mil

Albert Shweitzer faz uma média de 16 mil atendimentos por mês e Rocha Faria 15 mil

Veja Também

Vítima resgatada com vida dos escombros Foto: TV Globo / Reprodução

Sobe para 07 o número de mortos no desabamento em Niterói Duas pessoas morreram no deslizamento de morro

Acidente ocorreu no Morro da Boa Esperança, na Estrada Francisco da Cruz Nunes, em Piratininga. ...