Home / Destaque / Adolescente de quinze anos desaparece quando voltava de colégio em Bangu A última vez que Débora Mariana Alves da Silva foi vista foi em ônibus da linha 819, voltando do CIEP Estadual Guilherme da Silveira Filho, no bairro da Zona Oeste do Rio; pais receberam mensagens do celular da filha, mas duvidaram da autenticidade do texto

Adolescente de quinze anos desaparece quando voltava de colégio em Bangu A última vez que Débora Mariana Alves da Silva foi vista foi em ônibus da linha 819, voltando do CIEP Estadual Guilherme da Silveira Filho, no bairro da Zona Oeste do Rio; pais receberam mensagens do celular da filha, mas duvidaram da autenticidade do texto

Débora Mariana Alves da Silva estava acompanhada por amigas no coletivo da linha 819 (Jardim Bangu x Bangu), quando foi vista pela última vez, conforme relato das colegas
Uma adolescente de 15 anos está desaparecida, desde quarta-feira da semana passada. Na última vez em que foi vista, ela estava em um ônibus, voltando do Ciep Estadual Guilherme da Silveira Filho, em Bangu, Zona Oeste do Rio. Débora Mariana Alves da Silva, de 15 anos, embarcou em um ônibus da linha 819 (Jardim Bangu x Bangu) e faria uma baldeação para chegar em casa.
Ela estava acompanhada por duas amigas no transporte público, conforme relato de uma das colegas, as duas estudantes desembarcaram, e Débora permaneceu no ônibus, pois ainda faria uma baldeação para chegar em casa.
A família registrou o desaparecimento neste domingo na 34ª DP (Bangu). Eles procuraram a polícia, após desconfiarem da autenticidade de mensagens recebidas do número de celular de Débora. No início da tarde de sábado, uma mensagem encaminhada à mãe da jovem por meio do aplicativo ‘Messenger’ dizia que ela estava viva e bem. Neste domingo, uma nova mensagem no ‘WhatsApp’ dizia que estaria tudo bem e dizia que não precisava mais compartilhar as mensagens de desaparecimento.
O programa ‘Desaparecidos’, do Disque Denúncia, confirmou o sumiço da jovem. Agora, aguardam autorização dos familiares para a confecção de cartazes.

Veja Também

O pedreiro Pio Baía Júnior, de 45 anos, morto durante ação policial na Vila Kennedy Foto: Reprodução

Moradores dizem que não havia tiroteio e que PMs atiraram na direção de pedreiro na Vila Kennedy Protesto fechou a Av. Brasil e causou grande congestionamento

Moradores da Vila Kennedy afirmaram que não estava ocorrendo tiroteio quando o pedreiro José Pio Bahia Júnior, ...